Postagens

Mostrando postagens de 2014

not excited

Resenha: Ela disse, Ele disse; Thalita Rebouças

Imagem
Nossa Senhora! Eu estava com tanta preguiça de fazer essa resenha, e não porque o livro é ruim - na verdade, o livro é ótimo -, mas sim por causa do meu pecado que é a preguiça, e ela se intensificou nessas férias. Mas finalmente depois de um mês enrolando e o rascunho em branco, aqui estou, com mais uma resenha para quem quer que esteja lendo o meu blog.
Bom, acho que todo mundo sabe como o primeiro dia de aula em uma escola nova pode ser um pesadelo, e é isso que acontece com o Leo e a Rosa, e o que os fazem se aproximar um do outro nesse dia.
Os capítulos do livro são divididos entre os dois, nos deixando saber o que cada um pensa, e acho que isso torna todo o livro muito legal, e divertido.
E somente para deixar registrando, eu li metade desse livro em uma noite. UMA. NOITE. E a outra metade foi junto na tarde seguinte. Porque além de ser legal e divertido, é uma livro bem leve que você pode ler se estiver com tempo livre, ou quando quiser tirar o estresse.
Adorei o livro, amei a capa,…

so, this is christmas, right?

Imagem
(Música do dia: Merry Christmas Darling - Glee Version)

Sim, já é Natal! O ano passou tão rápido, e não poderia estar mais agradecida por isso, porque para ser bem sincera, esse ano não foi tão bom quanto esperava que fosse, então vamos dizer que fiquei meio que decepcionada. Anyway... É NATAL!!! Eu gosto do Natal, sabe? Não amo amo amo de paixão, mas gosto sim. E esse ano foi um dos melhores na minha opinião. Não sei se já comentei aqui no blog, mas minha família é muito muito grande, e quase todo ano comemoramos todos juntos na casa da minha tia, mas esse ano os meus pais, minha irmã e eu resolvemos ficarmos em casa e fazermos algo simples. Assim, aqui estou eu, de estômago cheio e totalmente satisfeita pela refeição que minha mãe trabalhou a tarde inteira enquanto minha irmã e eu assistíamos White Collar - que por sinal, eu amei a series finale. A ceia foi bem simples: arroz com milho verde, farofa, salada de verduras, frango - não, não é o Chester -, e macarrão. Ah! E de sobremesa, tivem…

As 5 melhores apresentações de Matt McAndrew no The Voice USA

Imagem
Bem, há uns bons dias atrás aconteceu a final do The Voice USA, e quem ganhou foi o cantor do Team Blake, Craig Wayne Boyd. Mas tenho que admitir, que apesar de gostar do cara e tals, não estava torcendo pra ele. O meu favorito era sem dizer mais nem menos, Matt McAndrew!(Nossa, quanto 'M') De qualquer forma, pensei em fazer esse post, para somente relembrar, ou para quem não assiste, as melhores performances - na minha opinião - que Matt - ou como eu chamo: Harry Potter de tatuagem - fez no The Voice. E aqui está o meu TOP 5 de Matt McAndrew!
1. Take Me To Church

2. Make It Rain


3. Wasted Love


4. The Blower's Daughter


5. God Only Knows


Então aqui está!
Espero que tenham gostado da seleção de músicas tanto quanto eu gostei. Deixarei aqui as redes sociais do Matt!
Bye!

Facebook:MattMcAndrewMusic
Twitter: mattmcandrew

-S.C

cinco lágrimas

(Música do dia: Laura Palmer - Bastille)

Procurei um lugar para chorar.
E o mais perto era o banheiro.
Olhei meu rosto.
Os olhos castanhos marejados e um pouco vermelhos.
A ponta do nariz parecendo a de um palhaço.
Lábios franzidos pelo esforço de não chorar.
Mas não deu para segurar.
Acho que apenas há horas na vida em que não podemos evitar.
E somente desmoronamos.
Prendi o meu cabelo.
Examinei meu rosto.
Me obriguei a parar depois de cinco lágrimas.
Joguei água no rosto.
Limpei o rosto com a toalha de rosto.
Assoei o nariz.
Dei descarga no vaso sanitário.
Aquela coisa que você faz quando não quer que pensem que você chorou.
Respirei fundo.
Sai do banheiro.
Voltei para a mesa.
De repente, não estava mais com tanta fome.
Tive que me forçar a engolir.
Não poderia ser fraca.
Pelo menos, não mais.

-S.C

um dia muito longo

Imagem
(Música do dia: Bite Down - Bastille ft. Haim)


Então, ontem foi um dos dias mais longos da minha vida. Acordei ás dez horas, comi um pão com queijo, bebi o meu usual café com leite, e me sentei em frente ao computador. Como sempre. Li. Li. Li. Olhei o facebook. Li. Assisti uns vídeos no YouTube. Quando eram doze e dez da tarde, tomei um banho bem rápido (economizando a água), coloquei meu jeans desbotado, minha camisa de farda, e os meus tênis esportistas pretos. Prendi o meu cabelo - que está cada vez maior - em um coque, e almocei, ou pelo menos considero que almocei, sendo que no meu prato só havia três colheres de arroz, uma colher de feijão, dois tomates, uma folha de alface e um pedaço de frango. Ás uma hora e quatro - eu acho -, sai de casa e fui caminhando para o colégio, e em uns seis minutos, lá estava eu, entrando na minha sala. A sala em que me forcei a me encaixar, e que só no final do ano, percebi quem realmente era 'my gang' como dizem lá no USA, ou é no UK? Não lembro…

eu espero, amor

(Música do dia: No. 1 Party Anthem - Arctic Monkeys)
Eu não sei quem você é, mas espero te encontrar. Espero que fiquemos nos olhando nos olhos um do outro no silêncio da noite, e sem podermos nos ver. Espero que você segure a minha mão enquanto andarmos juntos, lado a lado, em todos os lugares possíveis. Espero que eu durma em seus braços toda noite, e que me sinta segura somente com esse pequeno fato. Espero que você me acorde com beijos suaves por todo o meu rosto, e que eu sorria por causa desse gesto. Espero que você me faça cocegas no sofá, e que logo cairemos no tapete no chão da sala. Espero que você saiba me irritar de uma forma que ninguém sabe, de uma forma que me faça sorrir. Espero saber de como você gosta do seu café, isso se você de fato gostar de café. Espero que você brigue comigo pelo controle da Tv. Eu querendo comédia, você querendo terror, mas no fim escolheremos os dois. Espero que no café da manhã, comeremos e conversaremos ao mesmo tempo, no mesmo ritmo. Espero que eu use…

H ou B? (Pt. II)

(Música do dia: Poison & Wine - The Civil Wars)

E lá estava ele, com a roupa exatamente igual à que eu havia imaginado, e sobre uma das mãos encontrava-se um skate. A franja de seu cabelo estava caído sobre as sobrancelhas, e a sua voz, era meio rouca, mas com uma calma constante. Não era como a voz dos outros garotos. Era diferente.
Quando passou por mim na escada, disse-me um 'boa noite', e forcei a minha voz a encontrar um tom considerável, devolvendo-lhe o 'boa noite'.
Não queria que ele fosse embora. Por mim, poderíamos nos sentar sobre os degraus daquela mesma escada irregular, e conversaríamos por horas.
Eu estou tão confusa. Quero dizer, a minha vida está sempre assim: uma confusão ambulante. E eu volto ao mesmo lugar em que estive no meu coração há menos de um ano atrás.
B ou H?
Essas são as iniciais dos dois garotos de que talvez eu possa estar apaixonada. B - o garoto que me fez esquecer. H - o garoto por quem eu não sei o que sentir.
B... eu sou apaixonada por …

felicidade é liberdade

(Música do dia: The Silence - Bastille)


Para mim, ser feliz é ser livre. Ser quem você é, e não ser julgado por isso. Não acredito que a felicidade esteja escondida em um pote de ouro no final do arco-íris. A felicidade é a síntese de todas as coisas boas que a vida tem de oferecer. As pessoas costumam dizer que a felicidade é algo difícil de encontrar. E de acordo com os padrões, realmente é se você não for do jeito que a sociedade aprova. Acho que se fossem outros tempos, a felicidade seria algo tão simples como comer ou dormir. Então, o meu conceito de felicidade é a liberdade. Porque se você é livre. Se você é quem quer ser. E se as pessoas te respeitarem por isso. Você é feliz.

ponto de vista masculino

(Música do dia: Thinking Out Loud - Ed Sheeran)

É uma noite perfeita. Segunda á noite. Friends passando na Tv. Duas taças de vinho meio vazias. E ela. Tão linda. Tão maravilhosa. Tão perfeita. Cada vez em que ri, olha pra mim. E eu me sinto feliz. Somente por vê-la feliz. Seus cabelos caem em ondas até a cintura. Ela está vestindo uma calça cinza de flanela, uma camiseta preta rasgada e meias brancas. Sorri com a boca e com os olhos. É uma manhã perfeita. Acordo com ela na minha cama. Os cabelos bagunçados e perfeitos sobre o travesseiro. Os olhos fechados. E um sorriso inocente. Beijo seu pescoço. Sua bochecha. Seus olhos. Seu nariz. Sua boca. E então ela acorda. Me olha com olhos irritados, porém risonhos. É uma tarde horrível. Estou no trabalho. Ela está no trabalho também. Cumpro todos os meus deveres no trabalho. Sempre contando os minutos para vê-la de novo. Ela me manda mensagens. E isso só faz com que sinta mais saudade ainda. É uma vida perfeita. Eu tenho ela. Seu amor. Seu sorriso. Sua risada. Seus olhares. Seus …

playlist Novembro 2014

Imagem
Gente! Eu abri a porta pra dezembro e nem percebi que já era ele, bem ali. E daqui a pouco chega o final do ano letivo, o Natal, as festas de fim de ano, e o meu aniversário de 15 anos! E com Dezembro vem o que? A minha playlist de Novembro! Bem, não sei bem se pode-se chamar de playlist uma lista com somente cinco músicas, mas lá vai!
1. Blank Space - Taylor Swift

2. Maps - Maroon 5

3. Flaws - Bastille

4. Salute - Little Mix

5. Two Fingers - Jake Bugg

Então aqui está! Espero que tenham gostado e que fiquem tão viciados quanto eu nessas músicas.
Byyyyye!
-S.C

três semanas atrás

(Música do dia: Forasteiro - Tiago Iorc [ft. Silva])
O céu era uma mistura de cores. Tons de cinza mesclados com um azul escuro, e algumas nuvens cor de pérola. Eu não estava exatamente animada por estar indo para a casa da minha tia, apesar de amá-la. Estava de noite e o caminho era um pouco longo, mas nada com que devesse me preocupar. As luzes dos postes começaram a iluminar a rua, e fiquei pensando em como seria se estivéssemos em uma década completamente diferente. Meu look do dia era: calça jeans azul escuro, camisa branca com três desenhos de caveiras mexicanas e que dizia 'My Favorite Skull Scrawled', e para completar, haviam os meus tênis Kolosh de couro marrom e com uma parte em estampa de onça. Meus cabelos estavam amarrados firmemente em um coque baixo e não estava usando joia alguma, e nem maquiagem. Fiquei em pé durante toda a viagem de ônibus, com a mochila para frente, amortecendo cada solavanco que os buracos no asfalto nos proporcionavam. Uma hora depois de termos ch…

eu odeio

Imagem
(Música do dia: Night Changes - One Direction)


Eu odeio o jeito que você olha pra mim. Eu odeio o seu sorriso de canto. Eu odeio quando você me faz rir somente ouvindo sua risada. Eu odeio o fato de eu lembrar de você em cada música. Eu odeio a sua calça folgada. Eu odeio seu cabelo preto como ônix. Eu odeio seus olhos castanhos como chocolate e café. Eu odeio sua maldita covinha que aparece no lado direito da bochecha.
Deus, a covinha.
Aquela deformação genética tão perfeita.
Eu odeio o jeito como você apoia a caneta sobre o queixo.
Eu odeio como você senta nos bancos da escola.
Eu odeio quando você olha pra mim sem razão aparente.
Eu odeio o jeito como você corta o cabelo.
Eu odeio os seus sapatos pretos.
Eu odeio a sua risada.
Eu odeio o seu vício por videogames.
Eu odeio quando você me ignora.
Eu odeio o seu toque.
Mas o que eu mais odeio, é aquela parte de mim que, não consegue odiar você nem um pouco.

(P.S.: Capa somente para preencher o vazio. A Bela e a Fera porque eu amo o desenho)



-S.C

Invisível, David Levithan e Andrea Cremer

Imagem
Então, essa foi a primeira vez em que li algo escrito por duas pessoas, e tenho que dizer, foi muito bom. A história de Invisível, é contada por dois personagens, os quais são o Stephen - o invisível - e pela Elizabeth, o que torna as coisas interessantes pelos dois pontos de vista. Desde seu nascimento, Stephen é invisível. Sempre observa o mundo ao seu redor, mas a vida dele sempre é a mesma, diferente de Elizabeth, que mudou para a Nova York por conta daquilo - como ela se refere no livro - que aconteceu com seu irmão. Mas tudo muda quando Elizabeth derruba algumas sacolas na porta de seu apartamento - que é ao lado do de Stephen - e não consegue acreditar quando ele não faz uma menção para ajudá-la, revoltada, ela se dirige a ele, e chocado, o garoto percebe que ela consegue vê-lo.

A invisibilidade é uma maldição que o avô de Stephen - um conjurador de maldições, óbvio - lançou nele como forma de vingança sobre o que a mãe dele fez no passado - uma tremenda babaquice da parte do avô d…