terça-feira, 28 de outubro de 2014

Disney como American Horror Story


Acho que algumas pessoas sabem que não sou muito fã de coisas relacionadas a terror, suspense, ou nada a ver com sangue. E é por isso e outras razões que não assisto American Horror Story, mas como a minha irmã assiste e ama, sei um pouco de cada história e de cada personagem.
Então, eu estava no Facebook hoje (como sempre) e me deparei com essas fotos maravilhosas de desenhos feitos por esse cara que usa esse perfil no instagram e decidiu dividir sua arte conosco.
Bem, aqui estão as fotos.
- Temos a Branca de Neve como as gêmeas Bette e Dot:


































- Jane de 'Tarzan' como Esmeralda:


































- Príncipe Eric como Jimmy Darling:


































- A Tiana como Desiree Dupree:

- E Elsa como, bem, Elsa:

Amei todos os desenhos, mas o meu preferido é o da - ou das - Branca de Neve como as gêmeas da série. Qual foi o seu?
XOXO

-S.C

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

sem razão


(Música do dia: Wildest Dreams - Taylor Swift)

Eu estou fazendo esse texto, pois não consigo ver algo que me faça te odiar.
Sei que fui uma idiota.
E sei que confundi sonhos com ilusões.
Mas a verdade é que, não tenho alguma para odiar você, porque não foi sua culpa.
E sendo bem honesta, de acordo com os meus pensamentos, eu vi em você uma pessoa por quem valeria a pena eu me apaixonar, e como estava querendo me livrar de uma paixão antiga, me agarrei a uma última esperança.
Pode parecer um pouco, quero dizer, muito dramático, mas eu sou mesmo louca e acima de tudo contraditória.
O fato é que, eu acho você um cara legal, fofo, e com um sorriso que ainda faz o meu coração acelerar.
Você me dava um olhar cheio de peças de um quebra-cabeça que eu não sabia como ou por onde começar.
Com o tempo, comecei a ficar confusa com as duas partes que se formavam dentro de mim.
Parte 1: a que queria lhe beijar e mexer em seus cabelos pretos.
Parte 2: a que queria jogar você para o outro lado do mundo.
Tive medo de alguma forma me magoar, porque não posso evitar que essa pergunta apareça em minha mente.
'E se eu me magoar?'
Já me magoaram antes, e tenho que dizer, nunca quero experimentar essa sensação de novo.
Lembro exatamente o que eu fiz quando a minha melhor amiga me perguntou se eu estava bem. Construí um rosto impassível mixado com um sorriso gentil, e falei que 'sim, eu estou bem', ela sabia que não era bem assim, mas respeitou e concordou com a cabeça.
Não é fácil cicatrizar uma ferida, mas quando me apaixonei por você - mesmo não sendo recíproco -, meio que me ajudou, eu acho.
Esqueci aquela pessoa, e foquei-me em você. Um corretivo para tantos erros no meu coração.
Então, para terminar, não tenho uma razão para te odiar, porque apesar de tudo, você me ajudou, sabe?
Então, obrigada.

-S.C

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

writing in home


(Música do dia: Love, Love, Love - Avalanche City)

Ser uma escritora aqui em casa está sendo um pouco difícil ultimamente. Por quê?
Bem, vamos aos motivos.
Eu costumo escrever melhor a noite, não sei qual a conexão da escrita com a noite, mas ás vezes isso acontece, mas sabe qual a pior coisa? Minha mãe não deixa eu ficar no computador até tarde porque ela não consegue dormir com a luz acesa, e como nossa casa é muito pequena, a luz que vem do computador vai direto para o quarto dos meus pais.
Então, é isso que acontece: estou super empolgada, fazendo algum post para o blog ou então trabalhando em algum capítulo para o meu livro, e então os meus pais falam: hora de dormir.
Vou dormir, e no dia seguinte, eu não lembro de nada que eu imaginei, então acabo perdendo uma grande ideia ou ficando com olheiras na manhã seguinte.
Eu realmente entendo, mas tipo, só mais trinta minutos, não vai matar ninguém, vai?
É isso, mais tarde, ou amanhã, não sei, vou lhes contar um pouco sobre o meu dia de hoje.
Bye.

-S.C

terça-feira, 21 de outubro de 2014

The Land of Stories: O Retorno da Feiticeira


Faz um tempo já desde que terminei de ler esse livro, mas acontece que O Sangue do Olimpo tomou tanto o meu tempo que esqueci de resenhar esse livro maravilhoso!
Bem, antes de mais nada, vamos dizer que não teria lido esse livro se ele não tivesse sido escrito pelo Chris Colfer, o ator que faz a série Glee, a qual eu amo de paixão. Então, acho que se não soubesse que foi ele que escreveu, provavelmente demoraria para ler, mas felizmente quando vi a notícia de que ele iria fazer um livro, no mesmo mês em que lançou, a minha irmã - também fã de Glee - compreou o primeiro livro da saga, O Feitiço do Desejo.


Mas estamos aqui para falar do segundo livro, e tenho que admitir que apesar do primeiro livro ser muito bom, o segundo livro se superou, viu?
Bem, o segundo livro começa com um prólogo bem revelador que já nos diz quem é o vilão desse livro, e confesso que me deixou sem fôlego. Logo depois começam os mesmo capítulos narrados por uma terceira pessoa, o que nos permite ver melhor de uma certa forma as emoções dos irmãos em um só capítulo.


As coisas estão mudando muito para os dois irmãos. Alex sente cada vez mais saudades da Terra de Histórias e de sua avó que nunca mais deu notícias, e Conner descobre que tem um surpreendente talento para a escrita com base em todas as histórias que ele viveu e escreveu na escola. Mas além de tudo isso, eles descobrem outra coisa: sua mãe tem um namorado, e eles ficam mais confusos do que nunca.
Enquanto isso no Outromundo, as pessoas estão aterrorizadas com o fato de a Feiticeira estar de volta, e sim, é a mesma feiticeira que condenou Bela Adormecida a ficar dormindo por tantos anos.
Vou soltar uma coisa logo, olha, demoram umas cento e poucas páginas para eles chegarem até a Terra de Histórias de novo, mas o que acontece durante esse tempo é bem legal também.


Quando a Feiticeira sequestra a mãe dos gêmeos, eles se veem determinados a salvar a mãe, e para isso eles passam por muitas e difíceis com o propósito de construir a Varinha Prodigiosa, que tende ser a última esperança para salvar os dois mundos do ódio da vilã.


O que mais me encanta no livro são as ilustrações feitas por Brandon Dorman, tão bem feitas que me fazem suspirar quase toda vez que as vejo. Ah, e os personagens que reaparecem como João, Cachinhos Dourados, Froggy, Chapeuzinho Vermelho, e tantos outros.
E tem aqueles que apareceram no segundo como Mamãe Ganso, o terceiro porquinho, a Rainha da Neve, a Bruxa do Mar, a madrasta da Cinderela...
Enfim, amei o livro e mal posso esperar para o terceiro que não tenho ideia de quando vai ser lançado aqui no Brasil.
É isso, e tchau!

-S.C

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Desenhos incríveis da Mela Makes Art


Gente, ontem eu estava no site do Capricho, quando vi esses desenhos incríveis feitos por uma designer americana, mais conhecida como Mela Makes Art, e para quem quiser tá aqui o instagram dela.
Bem, ela fez esses desenhos das princesas da Disney, como se elas vivessem aqui, nesse mundo.
Tipo a Cinderela estilo pin-up. Ficou tão fofa!


E também teve a Rapunzel em uma versão mais indie...


E a Belle com essa coroa de flores e os óculos?


A Pocahontas divando com os cabelos negros, as botas e as franjas na blusa.


E também tem A Bela Adormecida, a Ariel, Tiana, Jasmine, e a Branca de Neve.


Bem, a minha preferida foi a Belle, porque ela sempre foi a melhor de todas pra mim. E a sua, qual é sua favorita?
É isso! Bye.

-S.C

dois lados



(Música do dia: Embrace the Devil - Agridoce)

Apenas algo que fiz hoje. Espero que gostem.

*

Ele usava branco. Ela usava azul.
Ela tinha um cabelo enorme. Ele puxou seu rabo de cavalo.
Ela o chamou de idiota. Ele ficou surpreso.
Ele era mulherengo. Ela nunca havia beijado um garoto.
Ela era tímida. Ele era popular.
Ela lhe dava um pequeno sorriso. Ele pegava sua mão.
Ele queria beijá-la. Ela não deixou.
Ela se apaixonou por ele. Ele só a via como um desafio.
Ela se fez de difícil. Ele não desistiu.
Ela lhe disse ‘não’ pela segunda vez. Ele ficou raiva.
Ele seguiu sua vida. Ela ainda o observava.
Ela o esqueceu, depois de um tempo. Ele recomeçou a observá-la.
Ele arranjou uma namorada. Ela descobriu uma nova paixão.
Ela começou a se esquecer dele. Ele relembrou de seu sorriso.
Ele dizia ‘oi’ quando a via. Ela apenas sorria.
Ela arranjou um namorado. Ele terminou seu relacionamento.
Ele foi atrás dela. Ela lhe disse ‘não’ pela terceira vez, e lhe disse que tinha um namorado.
Ela não queria magoá-lo. E ele viu seu namorado surgir por detrás dela.
Ele a perguntou se ela o amava. E ela respondeu que sim, e muito.
Ele então saiu. Ela fechou a porta de casa.
Ela seguiu em frente. E com o tempo, ele também.

-S.C
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...